Testemunhos

Diogo Santos

Joana Vasconcelos

Notei uma grande diferença entre a minha antiga escola e a E.S. de Montemor-o-Velho, não existe comparação. Na minha anterior escola os professores não compreendiam a minha situação. Era considerada mais uma aluna igual a tantas outras e isso era muito complicado. Tinha de fazer tudo como os outros colegas… não havia compreensão. Era muito difícil conciliar os estudos e a minha atividade como atleta de alto rendimento.

Aluna UAARE

Foi o meu primeiro ano a frequentar esta escola e este projeto UAARE. Acho muito importante os atletas poderem conciliar a prática desportiva com os estudos pois cada vez se torna uma tarefa mais complicada. Este projeto só nos vem ajudar nesse sentido. Apesar de só ter feito uma disciplina este ano, quando faltava por motivos desportivos, a minha professora ajudava-me em tudo para que não ficasse atrasada na matéria e consequentemente prejudicada. É importante agradecer a todos os professores envolvidos neste projeto porque isto é muito importante para nós, tanto para a nossa vida académica como também a desportiva.

Bruno Cruz

Aqui tudo melhorou, até as notas. Aqui o horário da escola é mais flexível e é possível conciliar melhor a escola com os treinos. Para nós, atletas, isso é fundamental.

Diogo Vilela Daniel

O meu nome é Diogo Daniel, tenho 18 anos de idade e vivo e estudo nas Caldas da Rainha. Comecei a praticar badminton aos 11 anos de idade, em 2011, num campo de férias no Centro de Alto Rendimento de Caldas da Rainha (CAR Badminton). A partir daí, tornei-me atleta federado no clube MVD - Movimento Desportivo, e a paixão por esta modalidade desportiva foi aumentando, tendo-me passado a dedicar a ela de alma e coração. Em 2015, estreei-me nas competições nacionais, e em 2018, tive conhecimento que poderia representar Portugal em competições internacionais. Assim, em junho de 2018 participei num torneio na Irlanda e daí para a frente participei em torneios noutros países da Europa e da América do Sul na modalidade de Badminton adaptada, uma vez que sou portador de uma deficiência física.

A partir do ano de 2018, tomei a decisão, em conjunto com os meus pais, de ingressar no Alto Rendimento, na modalidade de badminton. A Unidade de Apoio ao Alto Rendimento Escolar (UAARE) tem-me ajudado a conciliar a vertente académica e a vertente desportiva: o Curso Profissional de Técnico de Audiovisuais que frequento na Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro e a modalidade de badminton. Quando vou para fora do país, os professores da UAARE estão sempre em contacto comigo, dando-me o apoio necessário através da Plataforma Teams.

Ao longo destes 7 anos obtive bons resultados na modalidade de Para badminton: no ano de 2018, na minha 1.ª participação internacional, com apenas 16 anos, alcancei o 12.º lugar e, em novembro do mesmo ano, fiquei entre os 12 melhores jogadores da Europa. Em 2019, qualifiquei-me no ranking para o Campeonato Mundial, tendo alcançado o 9.º lugar.

Em relação ao futuro, vou tentar a qualificação para os Jogos de Tokyo 2020 e de Paris 2024. A Badminton World Federation (BWF) publicou no dia 1 de fevereiro o Calendário Internacional do Para badminton 2021 e estou, neste momento, a aguardar a convocatória para os torneios internacionais no Dubai, em março, em Espanha, no mês de maio (último torneio de qualificação olímpica para Tokyo 2020) e na Irlanda, em junho.

Estou muito grato à família e aos amigos pela força que me têm dado “dentro e fora de campo.” Gostaria de agradecer o grande apoio da Federação Portuguesa de Badminton (FPB), e especialmente ao meu treinador, o professor Jorge Cação e do Comité Paralímpico de Portugal (CPP) em virtude de possibilitarem a minha participação em torneios. Não posso também deixar de expressar a minha gratidão à ESRBP e, em particular, à Professora Acompanhante UAARE, Alexandra Sampaio, bem como a todos os meus professores, pelo empenho, carinho e compreensão que me têm dispensado.

Entrevista para o jornal Record, 12 de feveiro de 2021

Beatriz Dias Monteiro

Sou a Beatriz Monteiro, tenho 15 anos e comecei a praticar badminton quando tinha apenas 9 anos, no meu 5.º ano de escolaridade. Não tive qualquer influência para começar a praticar este desporto, simplesmente tive curiosidade e decidi experimentar pois era algo diferente do que eu estava habituada. Iniciei-me no desporto escolar e comecei-me a apaixonar pela modalidade. Inscrevi-me num clube chamado ESMA, onde comecei a treinar com mais frequência, mas sentia que a minha evolução não estava a ser muito notável. Entretanto, decidi mudar de clube e fui para o NST (Núcleo Sportinguista de Tires), onde tive uma grande progressão e um grande apoio por parte dos meus colegas de treino e treinadores.  Agora represento a Académica de Coimbra (AAC). Comecei a entrar em torneios nacionais e a ficar com cada vez mais vontade de treinar e em 2018 recebi a notícia que ia ter oportunidade de representar Portugal internacionalmente. A primeira vez que representei Portugal foi em Dublin, na Irlanda, onde fui classificada na categoria SU5 e tive a oportunidade de poder jogar. A partir daí, comecei a participar em mais torneios internacionais na Europa e na América do Sul. Tive o prazer de representar Portugal no Europeu e conquistei uma medalha de bronze em 2018. Em 2020 participei num torneio na América do Sul, nomeadamente no Brasil e no Perú onde conquistei dois pódios, uma medalha de bronze e outra de prata.

Decidi ingressar no projeto UAARE para conseguir conciliar os meus estudos com os treinos, em 2021, no início do 2.º período. Tem sido um grande apoio, pois estou no Curso de Ciências e Tecnologias e preciso de tempo para poder estudar e treinar.  Estou muito grata a todos os professores por me estarem a ajudar com esta mudança.

No futuro, gostaria muito de me qualificar para os Jogos Paralímpicos de Tokyo 2021. Seria um verdadeiro sonho para mim! Resta-me apenas um torneio para terminar a qualificação. Se este meu ideal não se concretizar, irei focar-me no torneio Paris 2024. Este ano vai ser muito bom em termos de competições importantes. Terei um Campeonato do Mundo pela frente e vou trabalhar bastante para alcançar os meus objetivos, contando para isso com o apoio do Comité Paralímpico de Portugal, da Federação Portuguesa de Badminton e de todos os treinadores que me acompanham.

Estou extremamente grata à minha família, amigos, colegas de treino e treinadores, pelo apoio que me têm dado. Mais uma vez gostaria de agradecer ao CPP, à FPB e ao clube por me proporcionarem a possibilidade uma maior participação em torneios internacionais. Não posso também deixar de expressar a minha gratidão à Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, a todos os professores da UAARE e os que lecionam a turma CT2, que me têm prestado uma grande ajuda neste grande momento de mudança na minha vida.

Madalena Fortunato

Afonso Rebelo

Tomás Sacramento

Paula Jales